Ídolo do Flamengo, Zico já empilhou títulos como técnico na Europa

0

Se tem uma coisa que a torcida do Flamengo não discute é o fato de que o Zico é o maior ídolo da história do clube. Campeão da Libertadores e do Mundial de Clubes de 1981 com o rubro-negro, o Galinho foi a cara de uma geração flamenguista lembrada até os dias de hoje. Mas o que poucos lembram é que, como treinador, ele empilhou títulos na Europa.

Depois de fazer história com o Flamengo por quase duas décadas, Zico migrou para o futebol japonês e se aposentou no Kashima Antlers, em 1994. Foi no Japão, inclusive, onde ele começou a dar os seus primeiros passos no futebol fora das quatro linhas, como coordenador técnico do clube de sua aposentadoria e, mais tarde, como técnico da seleção japonesa.

Depois de cinco anos sob o comando da seleção do Japão, o ídolo do Flamengo decide embarcar em um novo desafio. Na temporada 2006/2007 ele é contratado para assumir o comando do Fenerbahçe, para muitos o maior clube de futebol da Turquia, e a partir daí começa uma jornada de títulos por equipes não tão famosas na Europa.

Empilhando títulos em uma prateleira abaixo do futebol da Europa

Quando se fala em futebol europeu, a primeira coisa que costuma vir à cabeça das pessoas são os clubes da Inglaterra, Espanha, Itália, Alemanha, França e quem sabe Holanda. Fora desses seis países, são poucas as equipes que são lembradas em nível de Europa. Mas foi justamente nessa prateleira abaixo onde o ídolo do Flamengo empilhou títulos como técnico.

Nas duas temporadas que passou na Turquia, Zico comandou o Fenerbahçe em 83 partidas, totalizando 55 vitórias. Foi tempo suficiente para que ele conquistasse o Campeonato Turco de 2007 e, de quebra, a Supercopa da Turquia do mesmo ano, em sua primeira passagem como treinador pela Europa.

E se a Turquia já não estava no radar das grandes competições da Europa, Zico decidiu descer um pouco mais enquanto técnico. Em 2008, ele foi contratado para comandar o Bunyodkor, time da primeira divisão do Uzbequistão que, na época, começava a contratar jogadores brasileiros para o seu elenco – entre eles, Rivaldo, que fez história no Palmeiras.

Na única temporada que passou no futebol do Uzbequistão, Zico comandou o Bunyodkor em 39 partidas, com 30 vitórias ao todo. Os bons resultados fizeram com que, no único ano que Zico permaneceu no clube, ele saísse de lá mais uma vez com dois títulos para a conta: a Liga Uzbeque e a Copa do Uzbequistão.

Os últimos anos de Zico na Europa

Depois de uma temporada no Bunyodkor, Zico começou a encaminhar os seus últimos anos como treinador na Europa. Novamente, não foi para nenhum grande clube do alto escalão europeu. Ainda assim, em 2009, assumiu o desafio de comandar o CSKA de Moscou, um dos principais times da Rússia.

Se a passagem pelo Uzbequistão já foi considerada “curta”, pela Rússia foi ainda mais. O ídolo do Flamengo comandou o CSKA em apenas três partidas naquele ano, vencendo todas – segundo dados do Ogol. Entre os jogadores comandados pelo Galinho naquela equipe estava Daniel Carvalho, atacante que teve uma boa passagem pelo Atlético Mineiro.

Ainda assim, os três jogos foram suficientes para a conquista da Copa e Supercopa da Rússia – mais dois títulos para o galinho. Já na temporada 2009/10, Zico assumiu o comando do Olympiacos, da Grécia. Dessa vez, no entanto, cinco jogos não foram suficientes para ganhar nenhum troféu.

- Publicidade -

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.