Julgamento chegou ao fim e Marcos Braz está liberado

O incidente que marcou um confronto físico entre Marcos Braz, vice-presidente de futebol do Flamengo, e um torcedor do clube, identificado como Leandro Campos, num shopping do Rio de Janeiro, encontrou um desfecho conciliatório nesta última quarta-feira, 7.

A situação, que inicialmente motivou Leandro Campos, através de sua advogada Ani Luizi, a iniciar uma ação cível contra Braz, culminou em um acordo mútuo, encerrando as disputas legais em torno do episódio.

Marcos Braz chega a acordo com torcedor

A controvérsia teve início após a circulação de imagens de câmera de segurança que capturaram o momento da agressão, levando a advogada de Campos a tomar medidas judiciais contra o dirigente Rubro-Negro.

Contudo, após negociações, ambas as partes optaram por uma resolução amistosa, formalizando a decisão através de petições judiciais que expressavam o desejo de não prosseguir com o processo, liberando assim o cartola do Mais Querido de qualquer outro problema. A renúncia de Campos ao processo foi protocolada no IX Juizado Especial Criminal da Barra da Tijuca, com a defesa alegando “perda no interesse no prosseguimento do procedimento”.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Relembre o caso

O caso, ocorrido em julho de 2023, ganhou notoriedade após as imagens divulgadas mostrarem um embate físico intenso entre Braz e Campos, com quedas e agressões físicas evidentes, como uma mordida na virilha, e golpes desferidos pelo segurança do dirigente no torcedor.

Apesar da gravidade das ações registradas pelas câmeras, o acordo entre as partes sinaliza um desejo mútuo de encerrar o episódio de forma pacífica, evitando maiores consequências legais e públicas para ambos os envolvidos. Desta forma, Marcos Braz e o próprio Flamengo seguem preservados.

Comentários estão fechados.