Aconteceu agora: Igor Coronado disse SIM e Flamengo já sabe o que fazer

Especulado nas últimas semanas como possível contratação do Flamengo, Igor Coronado afirmou que poderia jogar no Rubro-Negro. Por sua vez, o Fla se posicionou sobre a possibilidade de ter o brasileiro no elenco.

Igor Coronado conversou com o técnico Marcelo Gallardo e pode deixar o Al-Ittihad, da Arábia Saudita. Segundo informações do jornalista Fred Gomes, o meia foi oferecido ao Flamengo para a sequência da temporada. Bastante ativo no mercado da bola, o Mengo não descartou eventual contratação.

Apesar de grande apoio popular dos torcedores nas redes sociais pedindo para o clube carioca fechar acordo pelo jogador, o Mais Querido entende que neste momento tem outras prioridades. Dessa forma, a negociação não vai acontecer. Fred Gomes informou que o objetivo principal é trazer um zagueiro, além de utilizar mais os jovens da base.

Igor Coronado é carta fora do baralho

A diretoria flamenguista vê o meia de 31 anos como um jogador interessante, principalmente por se tratar de um atleta com grande currículo em mercados alternativos, sendo destaque por onde passou. Acontece que os dirigentes acreditam ser necessário dar mais oportunidade para joias como Lorran, Victor Hugo e Matheus Gonçalves.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Somado a isso, o alto salário que Igor Coronado recebe mensalmente no futebol saudita dificulta na negociação. Foi noticiado que os vencimentos do brasileiro atingem a casa dos R$ 2 milhões mensais. O brasileiro não foi totalmente descartado, mas atualmente o Mengo não deve fazer movimentos para trazer o atleta.

Na rede social, os torcedores Rubro-Negros não gostaram dessa notícia. A alegação é que Coronado viria sem custos. Outro fator é que o meio-campo atual pode ser todo convocado para a disputa da Copa América. Arrascaeta e De La Cruz são recorrentes no time de Marcelo Bielsa. Pelo Chile tem Erick Pulgar. Gerson também recebeu oportunidades na Seleção Brasileira.

Comentários estão fechados.